QUALIFICAÇÃO PROFISSIONAL NO PRONATEC E AS DEMANDAS DO NEODESENVOLVIMENTISMO LULO-PETISTA: FORMAÇÃO VOLTADA PARA EMPREGABILIDADE

Ricardo Vasconcelos, Mário Amorim

Resumo


Este artigo pretende realizar uma reflexão sobre a relação entre o ciclo de expansão econômica neodesenvolvimentista dos governos petistas de Lula e Dilma Rousseff e a redefinição da oferta de cursos de qualificação profissional por intermédio da criação e implementação do Programa Nacional de Acesso ao Ensino Técnico e Emprego (PRONATEC), criado no primeiro governo de Dilma, através da Lei nº 12.513/2011, cujo objetivo seria garantir a expansão da formação profissional massiva de trabalhadores, atendendo as demandas de um suposto “apagão” de mão de obra qualificada. Prioriza-se a discussão envolvendo o perfil de qualificação presente nos cursos do PRONATEC.

Palavras-chave


Neodesenvolvimentismo; qualificação profissional; PRONATEC.

Texto completo:

PDF HTML


DOI: https://doi.org/10.22409/tn.16i30.p10090

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Fontes de Indexação:

   

     logo_livre2.png     https://periodicos.uff.br/public/site/images/zuleidesilveira/REDIB.jpg   

Apoio:

          Resultado de imagem para abec brasil logo             

 

 

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

Contador de visitas
Contador de visitas

acessos a partir de 21/09/2018.