A MATERIALIDADE DO TRABALHO EM TERRITÓRIOS DAS ÁGUAS, TERRAS E FLORESTAS DA AMAZÔNIA

Autores

DOI:

https://doi.org/10.22409/tn.v18i37.46279

Palavras-chave:

Trabalho no campo, Trabalhadores amazônidas, Educação do Campo

Resumo

O artigo analisa a materialidade do trabalho e a sua organização na comunidade de Nogueira/Alvarães/Amazonas, apresentando um panorama das relações de trabalho na Amazônia. Os procedimentos metodológicos foram estudos bibliográficos e de campo, tendo o materialismo histórico dialético como método para apreciação e análise dos dados.  Conclui-se que no campo das terras, águas e florestas, a força de trabalho relaciona-se aos ciclos da natureza e que, frente à ausência/insuficiência de políticas públicas de Estado, cabe aos/as trabalhadores/as enfrentar diversos desafios.

 

 

Referências

BORGES, H. da S. Formação continua de professores (as) da Educação do Campo no Amazonas. 2015. 206 f. Tese (Doutorado em Educação) – Universidade Federal do Amazonas, Faculdade de Educação, 2015.

BRASIL. Ministério da Educação. Portaria nº 87 de 01 de fevereiro de 2013. Brasília: Distrito Federal, 2013.

CALDART, R. S. C.; KOLLING, E. J. Educação do campo: identidade e políticas públicas. Articulação Por Uma Educação do Campo: Brasília, DF, 2002.

CALDART, R.S. Elementos para a construção do Projeto Político Pedagógico da Educação do Campo In: Por uma educação do campo: contribuições para a Construção de um projeto de Educação do Campo. (Coleção Por Uma Educação do Campo, 5). Brasília, Distrito Federal (2004).

CALDART, R.S; MOLINA, M. C.; Arroyo, M.G. Contribuições para a construção de um projeto de Educação do Campo. (Coleção Por Uma Educação Básica do Campo). Brasília, Distrito Federal, 2000.

FRAXE, T. de J; WITKOSKI, A. C.; PEREIRA, H. Comunidades ribeirinhas amazônicas: modos de vida e uso dos recursos naturais. Manaus: EDUA, 2007.

FRAXE, T.de J; WITKOSKI, A. Carlos; SILVA, C. P. A pesca na Amazônia central: ecologia, conhecimento tradicional e formas de manejo. Manaus: Editora Universidade Federal do Amazonas, 2009.

LESSA, S. Mundo dos homens: trabalho e ser social. São Paulo: Instituto Lukács, 2012.

LIRA, S. H. Sustentabilidade e territorialidade humana: desafios, tendências e possibilidades para as populações rurais amazônicas.2012. Disponível em: https://docplayer.com.br/85530978-Sustentabilidade-e-territorialidade-humana-desafios-tendencias-e-possibilidades-para-as-populacoes-rurais-amazonicas.html. Acesso em: 21 de jan. 2017.

MARX, K. Para a crítica da economia política. Tradução Edgard Maladodi. São Paulo: abril Cultural, 1982.

MARX, Karl Heinrich. Grundrisses. São Paulo: Boitempo, 2011. 1285 p. Tradução de Mario Duayer; Nélio Schneider. E books da Boitempo Editorial.

MOLINA, M. C. A contribuição do Pronera na construção de políticas públicas de educação do campo e desenvolvimento sustentável. 2003. Tese. (Doutorado em Desenvolvimento Sustentável) – Centro de Desenvolvimento Sustentável da Universidade de Brasília, Brasília, 2003.

MOURÃO, A. R. B. Educação no campo: uma realidade construída historicamente. São Paulo: Cortez, 2012.

NODA, S. do N. Agricultura familiar na Amazônia das águas. Manaus: Editora da Universidade Federal do Amazonas, 2007.

OLIVEIRA, A. U de. Modo de produção capitalista, agricultura e reforma agrária. São Paulo: FFLCH, 2007.

PEREIRA, C. F; SILVA, S. C. P. da; WITKOSKI, A. C; CRUZ, M. de J. M. da; FRAXE, T. de J. P. (org.). Territorialidades específicas e formas de apropriação dos territórios aquáticos no baixo Solimões. In: FRAXE, Therezinha de Jesus Pinto; WITKOSKI, Antônio Carlos; SILVA, Suzy Cristina Pedrosa da (org.). A pesca na Amazônia Central: ecologia, conhecimento tradicional e formas de manejo. Manaus: Editora da Universidade Federal do Amazonas, 2009.

PISTRAK, M. M. Fundamentos da escola e do trabalho. São Paulo: Expressão Popular, 2011.

SILVA, C. A. Área de interface ceramista pretérita: a coleção arqueológica José Alberto Neves. 2016.2010f. Tese (Doutorado em Sociedade e Cultura) – Universidade Federal do Amazonas, Manaus, 2016.

SILVA, O. B. As representações sociais de trabalho e educação em comunidades ribeirinhas. 2010.194.f. Dissertação (Mestrado em Educação) – Universidade Federal do Amazonas, Manaus, 2010.

UCHÔA, I. C. Caderno de pesquisa de campo, nas localidades do Médio rio Solimões. (Inédito), 2016.

UCHOA, I. C; MOURÃO, A. R. B. De Parauari a Nogueira: o resgate de uma história no coração do Amazonas. Revista: Caribeña de Ciencias Sociales, Málaga, Espanha, v. 10, n. 10, p. 1-12, 22 out. 2019. Mensal. Disponível em: https://www.eumed.net/rev/caribe/2019/10/historia-coracao-amazonas.html. Acesso em: 09 jun. 2020.

WAGLEY, C. Uma comunidade Amazônica. Belo Horizonte MG: Itatiaia, 1988.

WITKOSKI, A. C. Terras, florestas e águas de trabalho: os camponeses amazônicos e as formas de uso de seus recursos naturais. São Paulo: Annablume, 2010.

WITKOSKI, A. C.; FRAXE, T. de J.; CAVALCANTE, K. V. Território e territorialidade na Amazônia: formas de Sociabilidade e participação Política. Manaus: Editora Vale, 2014.

Downloads

Publicado

2020-09-23

Como Citar

Mourão, A. R. B., Uchôa, I. C., & Borges, H. da S. (2020). A MATERIALIDADE DO TRABALHO EM TERRITÓRIOS DAS ÁGUAS, TERRAS E FLORESTAS DA AMAZÔNIA. Revista Trabalho Necessário, 18(37), 94-114. https://doi.org/10.22409/tn.v18i37.46279