O adoecimento do professor frente à violência na escola

Marilda Gonçalves Dias Facci

Resumo


A violência na escola tem sido um tema recorrente nos noticiários de jornais. Professores são agredidos por alunos; socos, pontapés, depredação do patrimônio público são desfilados na mídia, fazem parte do dia a dia das instituições de ensino e demandam o olhar da Psicologia. Neste contexto, o objetivo deste artigo é apresentar os resultados de uma pesquisa realizada com professores sobre a questão do adoecimento do professor provocado pela violência na escola. Participaram do estudo 31 professores do ensino fundamental de uma cidade do norte do Paraná. As informações foram obtidas por meio de um questionário aplicado a 21 professores e de entrevistas com dez professores que se encontravam readaptados. Concluiu-se que, embora a violência física e verbal esteja presente na escola, os professores analisam que o adoecimento está vinculado ao acirramento das condições de trabalho vivenciado na atualidade, havendo, segundo os pressupostos da Psicologia Histórico-Cultural, uma cisão entre sentido e significado na atividade docente.

Palavras-chave


violência na escola; adoecimento; Psicologia Histórico-Cultural

Texto completo:

PDF

Referências


ABRAMOVAY, Miriam; RUA, Maria das Graças. Violências nas escolas: versão resumida. Brasília: UNESCO / Instituto Ayrton Senna / UNAIDS / Banco Mundial / USAID / Fundação Ford / CONSED / UNDIME, 2002.

ANSER, Maria Aparecida Carmona Ianhes; JOLY, Maria Cristina Rodrigues Azevedo; VENDRAMINI, Claudete Maria Medeiros. Avaliação do conceito de violência no ambiente escolar: visão do professor. Psicologia: Teoria e Prática, São Paulo, v. 5, n. 2, p. 67-81, 2003. Disponível em: http://editorarevistas.mackenzie.br/index.php/ptp/article/view/1191/889. Acesso em: 24 nov. 2014.

ASSUNÇÃO, Ada Ávila; OLIVEIRA, Dalila Andrade. Intensificação do trabalho e saúde dos professores. Educação e Sociedade, Campinas, v. 30, n. 107, p. 349-372, ago. 2009. http://dx.doi.org/10.1590/S0101-73302009000200003

BASSO, Itacy Salgado. Significado e sentido do trabalho docente. Cadernos CEDES, Campinas, v. 19, n. 44, p. 19-32, abr. 1998. http://dx.doi.org/10.1590/S0101-32621998000100003

BRASIL lidera ranking de violência contra professor. Jornal do Brasil, Rio de Janeiro, p. 1, 15 out. 2014.

BENEVIDES-PEREIRA, Ana Maria T. et al. O trabalho docente e o burnout: um estudo em professores paranaenses. In: CONGRESSO NACIONAL DE EDUCAÇÃO DA PUCPR EDUCERE, 8, 2008, Paraná. Anais... Paraná, 2008. p. 4870-4884.

CARLOTTO, Mary Sandra; PALAZZO, Lílian dos Santos. Síndrome de burnout e fatores associados: um estudo epidemiológico com professores. Cadernos de Saúde Pública, Rio de Janeiro, v. 22, n. 5, p. 1017-1026, maio 2006. http://dx.doi.org/10.1590/S0102-311X2006000500014

CHARLOT, Bernard. A violência na escola: como os sociólogos franceses abordam essa questão. Revista Sociologias, Porto Alegre, n. 8, p. 432-443, dez. 2002. http://dx.doi.org/10.1590/S1517-45222002000200016

CHAUÍ, Marilena. Convite à Filosofia. São Paulo: Ática, 2000. Disponível em: http://www.filosofia.seed.pr.gov.br/arquivos/File/classicos_da_filosofia/convite.pdf. Acesso em: 27 nov. 2012.

CODO, Wanderley (Org.). Educação: carinho e trabalho - Burnout, a síndrome da desistência do educador, que pode levar à falência da educação. Rio de Janeiro: Vozes, 1999.

COSTA, Mariana Lins e Silva. Violência nas escolas: contribuições da Psicologia Histórico-Cultural para seu enfrentamento na educação. 2014. Dissertação (Mestrado) – Universidade Estadual de Maringá, Maringá, 2014.

DEBARBIEUX, Éric. A violência na escola francesa: 30 anos de construção social do objeto (1967-1997). Revista Educação e Pesquisa, São Paulo, v. 27, n. 1, p. 163-193, 2001. http://dx.doi.org/10.1590/S1517-97022001000100011

ESTEVE, José Manuel. O mal-estar docente: a sala de aula e a saúde dos professores. Bauru, SP: EDUSC, 1999.

FACCI, Marilda Gonçalves Dias. Valorização ou esvaziamento do trabalho do professor? Um estudo crítico-comparativo da teoria do professor reflexivo, do construtivismo e da psicologia vigotskiana. Campinas: Autores Associados, 2004. Coleção Formação de Professores.

GOMES, Candido Alberto; PEREIRA, Marlene Monteiro. A formação do professor em face das violências das/nas escolas. Cadernos de Pesquisa, São Paulo, v. 39, n. 136, p. 201-224, apr. 2009. http://dx.doi.org/10.1590/S0100-15742009000100010

HELLER, Agnes. Instinto, agressividad y caráter. Barcelona: Península, 1994.

LEONTIEV, Alexis. N. Las necesidades y los motivos de la actividade. In: SMIRNOV, Anatoli. et al. Psicologia. México: Grijalbo, 1969. p. 341-352

LEONTIEV, Alexis N. O desenvolvimento do psiquismo. Lisboa: Livros Horizonte, 1978a.

LEONTIEV, Alexis N. Actividad, conciencia y personalidad. Buenos Aires: Ediciones Ciencias del Hombre, 1978b.

LEVY, Gisele Cristine Tenório de Machado; NUNES SOBRINHO, Francisco de Paula; SOUZA, Carlos Alberto Absalão de. Síndrome de burnout em professores da rede pública. Produção, São Paulo, v. 19, n. 3, p. 458-465, 2009. http://dx.doi.org/10.1590/S0103-65132009000300004

LOBATO, Vivian da Silva; PLACCO, Vera Maria Nigro de Souza. Concepções de professores sobre questões relacionadas à violência na escola. Psicologia da Educação, São Paulo, v. 24, p. 73-90, jun. 2007. Disponível em: http://pepsic.bvsalud.org/scielo.php?script=sci_pdf&pid=S1414-69752007000100006&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt. Acesso em: 30 set. 2014.

LOUREIRO, Ana Carla Amorim Moura; QUEIROZ, Sávio Silveira de. A concepção de violência segundo atores do cotidiano de uma escola particular: uma análise psicológica. Revista Psicologia, Ciência e Profissão, Brasília, v. 25, n. 4, p. 546-557, 2005. http://dx.doi.org/10.1590/S1414-98932005000400005

MOSQUERA, Juan José Mouriñ; STÖBAUS, Claus Dieter. O mal-estar na docência: causas e consequências. Educação, Porto Alegre, n. 31, p. 139-146, 1996.

OLIVEIRA, Betty. A dialética do singular-particular-universal. In: ABRANTES, Angelo Antonio; SILVA, Nilma Renildes da; MARTINS, Sueli Terezinha Ferreira. (Org.). Método histórico-social na psicologia social. Petrópolis, RJ: Vozes, 2005. p. 25-51.

OLIVEIRA, Dalila Andrade. A reestruturação do trabalho docente: precarização e flexibilização. Educação & Sociedade, Campinas, v. 25, n. 89, p. 1127-1144, dez. 2004. http://dx.doi.org/10.1590/S0101-73302004000400003

OLIVEIRA, Érika Cecília Soares; MARTINS, Sueli Terezinha Ferreira. Violência, sociedade e escola: da recusa do diálogo à falência da palavra. Psicologia e Sociedade, Porto Alegre, v. 19, n. 1, p. 90-98, abr. 2007. http://dx.doi.org/10.1590/S0102-71822007000100013

PATTO, Maria Helena Souza. A produção do fracasso escolar: histórias de submissão e rebeldia. São Paulo: T. A. Queiroz, 1990.

SÁNCHEZ VÁZQUEZ, Adolfo. Filosofia da Práxis. 2. ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1977.

SANTOS, Diego Augusto dos. Contribuições da Psicologia Histórico-Cultural para a compressão do adoecimento e sofrimento psíquico de professores. 2014. Dissertação (Mestrado) - Universidade Estadual de Maringá, Maringá, 2014.

SAVIANI, Dermeval. Pedagogia histórico-crítica: primeiras aproximações. 8. ed. Campinas: Cortez, 2003.

SÈVE, Lucien. Marxismo e teoria da personalidade. Lisboa: Livros Horizontes, 1979. v. 3.

SILVA, Nilma Renildes da. Relações sociais para superação da violência no cotidiano escolar e processos formativos de professores. 2006. Tese (Doutorado) – Pontifícia Universidade Católica – São Paulo, 2006.

SPOSITO, Marilia Pontes. Um breve balanço da pesquisa sobre violência escolar no Brasil. Revista Educação e Pesquisa, São Paulo, v. 27, n. 1, p. 87-103, 2001. http://dx.doi.org/10.1590/S1517-97022001000100007

SOUZA, Marilene Proença Rebello de. Psicologia Escolar e políticas públicas em Educação: desafios contemporâneos. Em Aberto, v. 23, n. 83, p. 129-149, 2010.

VIGOTSKI, Lev Semionovitch. S. A construção do pensamento e da linguagem. São Paulo: Martins Fontes, 2000.

VYGOTSKI, Lev Semionovitch. Obras escogidas: problemas del desarrollo de la psique. Madrid: Visor, 1995. v. 3.

ZEĬGARNIK, Bli︠u︡ma Vulʹfovna. Introducción a la patopsicologia. La Habana: Científico Técnica, 1979.

ZEĬGARNIK, Bli︠u︡ma Vulʹfovna. Psicopatologia. Madrid: Akal, 1981.




DOI: https://doi.org/10.22409/1984-0292/v31i2/5647

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


URL da licença: http://creativecommons.org/licenses/by/4.0/

Creative Commons License
Este trabalho está licenciado com uma Licença Creative Commons Attribution 4.0 International License.

 

Apoio:



Indexadores:



Arquivamento:



Facebook: