Fatores motivacionais como elementos influenciadores da dinâmica educacional

Autores

Palavras-chave:

Motivação, Identificação, Transição

Resumo

A motivação é um fenômeno multicausal amplamente estudado em todas as áreas do conhecimento, pois se relaciona objetivamente com a ação humana sobre o meio. Um profissional, um cientista, um estudante motivado, é mensurado sob categorias que fazem juízo de valor positivo. A probabilidade de um indivíduo motivado alcançar suas metas é bem maior que a do indivíduo indiferente. Este estudo de caso, elaborado a partir de uma pesquisa de mestrado, desenvolvida através do Programa de Mestrado Profissional em Educação Profissional e Tecnológica (PROFEPT), mobilizou análise bibliográfica, observação participante e a pesquisa-ação para compreender os sentidos atribuídos individual e coletivamente à Escola/Educação no momento em que o aluno está concluindo  o 9° ano do Ensino Fundamental, buscando identificar a relação dos fatores motivacionais e sua interface com as subjetividades das experiências, desafios e impasses experimentados nesse período. Além de dissertar sobre a conexão de elementos contributivos, aponta para o papel do professor nesse processo.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Cláudio Adão Moraes Andrade, Prefeitura do município de São João da Barra

Coordenador do Plano Municipal de Educação do município de São João da Barra. Licenciatura Plena em Pedagogia pela Universidade Veiga de Almeida (UVA), Cabo Frio, Brasil. Licenciatura em Ciências Sociais pela Universidade Federal Fluminense (UFF), Campos dos Goytacazes, Brasil. Pós Lato Sensu em Metodologia do Ensino de Filosofia e Sociologia e Psicopedagoga Clínica e Institucional pela Universidade Cândido Mendes (UCAM), Rio de Janeiro, Brasil.

Referências

AVELAR, A. C. A Motivação do aluno no contexto escolar. In: CONGRESSO DE PSICOLOGIADA UNIVERSIDADE TIRADENTES – UNIT, 20., 2019. Aracaju. Anais [...]. Aracaju: UNIT, 2019, p. 1-14. Disponível em: https://www.psicologia.pt/artigos/textos/A1335.pdf. Acesso em: 25 mai. 2020.

BARBOSA, E. F.; MOURA, D. G. Metodologias ativas de aprendizagem na Educação Profissional e Tecnológica. B. Tec. Senac, Rio de Janeiro, v. 39, n.2, p.48-67, maio/ago. 2013.

BOFF, L. Ecologia, Mundialização, espiritualidade. 2 ed. Rio de Janeiro: Record, 2008.

BOURDIEU, P. A distinção: crítica social do julgamento. Porto Alegre: Zouk, 2011.

BUENO, Marcos. As teorias de motivação humana e sua contribuição para a empresa humanizada: um tributo a Abraham Maslow. Revista do Centro de Ensino Superior de Catalão, v. 4, n. 6, jan./jun. 2002.

BRASIL. Melhores práticas em escolas de ensino médio no Brasil. Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira, Brasília: INEP/MEC, 249 p. 2010b. Disponível em: http://portal.inep.gov.br/documents/186968/492049/Melhores+pr%C3%A1ticas+em+escolas+de+ensino+m%C3%A9dio+no+Brasil/c8e44799-0c60-4fa3-ac9ae99dbc8b9dd2?version=1.3. Acesso em: 07 jun. 2020.

CHRISTOFOLETTI,G et al. Grau de satisfação discente frente à utilização de métodos ativos de aprendizagem em uma disciplina de Ética em saúde. Revista Eletrônica de Educação, v. 8, n. 2, p. 188-197, 2014. Disponível em: http://www.reveduc.ufscar.br/index.php/reveduc/article/view/823. Acesso em: 12 nov. 2020.

COUTINHO, M. P. L; BÙ, E Do. A técnica de associação livre de palavras sobre o prisma do software Tri-deux-mots (version 5.2). Rev. Campo do Saber, v. 3, n. 1, p. 219-243, jan./jun. de 2017. Disponível em: http://periodicos.iesp.edu.br/index.php /campodosaber/ article/viewFile/72/58. Acesso em: 11 jun. 2020.

DAMÁSIO, A. R. O erro de Descartes: emoção, razão e cérebro humano. São Paulo: Companhia das Letras, 1996.

DELORS, J. (org.). Educação um tesouro a descobrir – Relatório para a UNESCO da Comissão Internacional sobre Educação para o Século XXI. Editora Cortez, 7 ed. São Paulo, 2012. 288 p. Disponível em: https://www.pucsp.br/ecopolitica/documentos/cultura_da_paz/docs/Dellors_alli_Relatorio_Unesco_Educacao_tesouro_descobrir_2008.pdf . Acesso em: 19 jan. 2020.

DOCUMENTÁRIO. Nunca me sonharam. Direção de Cacau Rhoden. Brasil: Maria Farinha Filmes, 2017. Documentário (84min.), son., color. Disponível em: https://www.videocamp.com/pt/movies/nuncamesonharam. Acesso em: 23 jun. 2020.

DURKHEIM, E. (1895). Regras do método sociológico. 3 ed. São Paulo: Martins fontes, 2007.

GOMES, P. S.; LIMA, N. L. Um mundo sem adultos: efeitos subjetivos dos adolescentes à deriva. Tempo psicanal. v. 51, n. 1, p. 123-158, Rio de Janeiro, jan./jun. 2019. Disponível em: http://pepsic.bvsalud.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0101-48382019000100007 . Acesso em: 20 mai. 2020.

GUIMARÃES, S.E. Motivação intrínseca, extrínseca e o uso de recompensas em sala de aula. In: BORUCHOVITCH, E.; BZUNECK, J.A. (orgs.). A motivação do aluno: contribuições da psicologia contemporânea. Petrópolis: Vozes, 2009. p. 118 – p. 136.

KAHN, R. Ecopedagogia: uma introdução. Contrapontos, Itajaí, v. 6, n. 2, p. 359-365, mai./ago. 2006. Disponível em: https://siaiap32.univali.br/seer/index.php/rc/article/download/870/722 . Acesso em: 18 jan. 2020.

KOGA, V. T. Que pensam os alunos de 8ª série, de escolas estaduais, sobre o estudo. SEMINÁRIO DE PESQUISA EM EDUCAÇÃO DA REGIÃO SUL, 9., 2012, Caxias do Sul. Anais [...]. Caxias do Sul: ANPED, 2012. Disponível em: http://www.ucs.br/etc/conferencias/index.php/anpedsul/9anpedsul/paper/viewFile/109/36. Acesso em: 20 mai. 2020.

LINHARES, Célia. Movimentos instituintes na escola: buscando dar visibilidade ao invisível. Revista Aleph, n.1, jun. 2004. Disponível em: http://www.uff.br/revistaleph/N17/numero01/experiências instituintes uma aproximação.htm. Acesso em: 18 de dez. 2020.

LONGO, C. S. et al. A violência no ambiente escolar: uma discussão da psicologia crítica. Interfaces da educação, Parnaíba, v. 5, n. 15, p. 148-164, 2014. Disponível em: https://periodicosonline.uems.br/index.php/interfaces/article/view/449/415. Acesso em: 16 nov. 2020.

MALVEZZI, A. Estética, liberdade e reflexividade: repensando Bourdieu. Sociologias, Porto Alegre, v. 21, n. 52, p. 192-219, set./dez. 2019. Disponível em: https://www.scielo.br/scielo.php?pid=S151745222019005003102&script=sci_arttext. Acesso em: 25 mai. 2020.

MASLOW, A. Motivação e personalidade. New York: Harper & Row, 1954

MAXIMIANO, A. C. A. Teoria geral da administração: da revolução urbana a revolução digital. 6 ed. São Paulo: Atlas, 2007.

MERTON, R. K. Social theory and social structure. New York: Free Press, 1968.

MICHAELIS. Dicionário prático da língua portuguesa. 2 ed. São Paulo: Melhoramentos 2009.

MOREIRA, M.; MASINI, E. Aprendizagem significativa: a teoria de David Ausubel. 2 ed. São Paulo: Centauro.2001.

NOGUEIRA, N. R. Pedagogia de Projetos: Uma jornada interdisciplinar rumo ao desenvolvimento das múltiplas inteligências. São Paulo: Érica, 2001.

NÓVOA, A. Formação de professores e profissão docente. In: NÓVOA, A(coord.). Os professores e a sua formação. Lisboa: Publicações Dom Quixote, 1992. p. 13-33. Disponível em: https://repositorio.ul.pt/handle/10451/4758. Acesso em: 16 jan. 2020.

PETRAGLIA, I. C. A Educação e a Complexidade do Ser e do Saber. 5 ed. Petrópolis: Vozes, 2001.

RIBEIRO, F. Motivação e aprendizagem em contexto escolar. Rev. Profforma, n. 03, p. 1-5, jun. 2011. Disponível em: http://cefopna.edu.pt/revista/revista_03/pdf_03/es_05_03.pdf. Acesso em: 25 mai. 2020.

RIBEIRO, M. E. et al. Ocorrência de motivação intrínseca e extrínseca na escola. Rev. Thema. v. 23, n. 2, p. 54-67, 2016. Disponível em: http://periodicos.ifsul.edu.br/index. php/thema/article/view/337/309. Acesso em: 25 de maio de 2020.

SANTINI, R. M. O algoritmo do gosto: os sistemas de recomendação online e seus impactos no mercado cultura. Curitiba: Appris, 2020.

SPECTOR, P. E. Psicologia nas organizações. 2 ed. São Paulo: Saraiva, 2004.

VIDAL, E. M. et al. Expectativas docentes e aprendizagem: explorando dados do questionário da Prova Brasil 2015. Educação e Pesquisa, São Paulo, v. 45, e201657, p. 1-20, 2019. Disponível em: https://www.scielo.br/pdf/ep/v45/1517-9702-ep-45-e201657.pdf. Acesso em: 17 jun. 2020.

VYGOTSKY, L. S. Interação entre aprendizado e desenvolvimento. In: L. S. Vygotsky. A formação social da mente. São Paulo: Martins Fontes, 1984. p. 89 – p.103.

Downloads

Publicado

2021-06-08

Como Citar

Andrade, C. A. M. (2021). Fatores motivacionais como elementos influenciadores da dinâmica educacional. Mundo Livre: Revista Multidisciplinar, 7(1), 41-61. Recuperado de https://periodicos.uff.br/mundolivre/article/view/48446

Edição

Seção

Artigos