Utilização de uma problemática local como foco de discussão na prática educativa: um caso de injustiça ambiental na cidade de Seropédica, RJ

Autores

  • Karyne dos Passos Oliveira Santos Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro, Seropédica, RJ https://orcid.org/0000-0003-4532-0457
  • Ana Maria Dantas Soares Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro, Seropédica, RJ https://orcid.org/0000-0003-2991-7106
  • Luciana Lima de Albuquerque da Veiga Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) / Universidade Rural do Rio de Janeiro (UFRRJ) / Secretaria Estadual de Educação do Rio de Janeiro. http://orcid.org/0000-0002-7190-2445

DOI:

https://doi.org/10.22409/resa2022.v15i1.a42934

Palavras-chave:

educação ambiental;, políticas públicas; , interesses privados; , movimento popular;

Resumo

O presente artigo buscou compreender a atuação da esfera educacional frente ao caso de injustiça ambiental a que foi acometido o município de Seropédica-RJ, pela implantação de um Centro de Tratamento de Resíduos. Para tal, foram realizadas entrevistas com professores da rede básica de ensino atuantes à época, assim como com docentes da Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro (UFRRJ) que foram representações ativas na luta. A partir dos relatos foi possível identificar a importância do movimento popular por justiça ambiental para compreensão das relações de poder, bem como para o estabelecimento de um diálogo entre população e universidade, contribuindo para o fortalecimento das lutas socioambientais locais.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Karyne dos Passos Oliveira Santos, Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro, Seropédica, RJ

Licenciada em Ciências Biológicas pela Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro (UFRRJ), onde fui bolsista no Programa Institucional de Bolsa de Iniciação à Docência (PIBID/CAPES) e no Programa de Residência Pedagógica (CAPES), além de monitora vinculada à Pró-Reitoria de Graduação (PROGRAD/UFRRJ) da disciplina de Introdução a Biologia - Departamento de Biologia Animal/Área de Biologia (ICBS/UFRRJ). Atualmente atuo como Mediadora de Biologia no Pré-Vestibular da Fundação Centro de Ciências e Educação Superior à Distância do Estado do RJ (CECIERJ) e pesquiso educação popular em uma perspectiva antirracista.

Ana Maria Dantas Soares, Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro, Seropédica, RJ

Graduada em Licenciatura em Pedagogia pela UFS (1971), Especialista em Planejamento e Administração Universitária pela UnB (1979), Mestre em Educação pela UFF (1983) e Doutora em Ciências Sociais em Desenvolvimento,Agricultura e Sociedade, pela UFRRJ (2003). Atualmente é professora Titular da Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro. Faz parte do corpo permanente do Programa de Pós-Graduação em Educação Agrícola - PPGEA, lecionando e orientando estudantes de Mestrado; Faz parte, como colaboradora, do colegiado do Programa de Pós-Graduação em Educação, Contextos Contemporâneos e Demandas Populares - PPGEDUC, atuando como orientadora. É docente do corpo permanente do Programa de Pós-Graduação em Práticas de Desenvolvimento Sustentável, atuando como orientadora; Orienta bolsistas de Iniciação Científica e de Extensão; Tem experiência na área de Educação, com ênfase em Política Educacional, Educação Agrícola e Formação de Professores, atuando principalmente, em pesquisa e extensão, nos seguintes temas: educação ambiental e sustentabilidade; formação de educadores ambientais; política educacional; educação e agroecologia; formação de professores e políticas públicas. Coordena o Grupo de Estudos e Pesquisas em Educação Ambiental, Diversidade e Sustentabilidade- GEPEADS/UFRRJ, desde 2003. Exerceu os cargos de Vice-Reitora (2005-2013) e de Reitora (2013-2017), da UFRRJ.

Luciana Lima de Albuquerque da Veiga, Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) / Universidade Rural do Rio de Janeiro (UFRRJ) / Secretaria Estadual de Educação do Rio de Janeiro.

Doutoranda em Educação em Ciência e Saúde do Instituto Nutes da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), professora da Educação Básica da Secretaria Estadual de Educação do Rio de Janeiro (SEEDUC-RJ) e docente do Ensino Superior substituta do DTPE / Instituto de Educação da Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro (UFRRJ).

Referências

ACSELRAD, Henri. Ambientalização das lutas sociais - o caso do movimento por justiça ambiental. Estudos avançados, v. 24, n. 68, p. 103-119, 2010. Disponível em: https://doi.org/10.1590/S0103-40142010000100010. Acesso em: 14 maio 2019.

ALBUQUERQUE, João Batista Torres de. Resíduos sólidos. Leme: Independente, 2011.

ALIER, Joan Martinez. O Ecologismo dos Pobres: conflitos ambientais e linguagens de valoração. Tradução de Maurício Waldman. São Paulo: Contexto, 2007.

ATLAS DO DESENVOLVIMENTO HUMANO NO BRASIL. Ranking - Todo o Brasil, 2010. Disponível em: http://www.atlasbrasil.org.br/ranking. Acesso em: 19 nov. 2019.

ATLAS DO DESENVOLVIMENTO HUMANO NO BRASIL. Perfil do Município de Seropédica (RJ). Disponível em: http://www.atlasbrasil.org.br/perfil/municipio/330555. Acesso em 19 nov. 2019.

CARVALHO, Isabel Cristina de Moura. Educação ambiental: a formação do sujeito ecológico. São Paulo: Cortez, 2004.

LEROY, Jean Pierre; PORTO, Marcelo Firpo; PACHECO, Tania. (Org.) Mapa de conflitos envolvendo injustiça ambiental e saúde no Brasil. Rio de Janeiro: Fiocruz, 2010. Disponível em: http://mapadeconflitos.ensp.fiocruz.br/. Acesso em: 19 nov. 2019.

GIL, Robledo Lima. Tipos de Pesquisa. Universidade Federal de Pelotas. Pelotas, RS. 2009. Disponível em: https://wp.ufpel.edu.br/ecb/files/2009/09/Tipos-de-Pesquisa.pdf. Acesso em: 12 out. 2020.

GADOTTI, Moacir. Educação e poder: introdução à pedagogia do conflito. São Paulo: Cortez. 2002.

GOES, Maria Hilde de Barros. Diagnóstico Ambiental por Geoprocessamento do Município de Itaguaí. Tese de Doutoramento. Instituto de Geociências e Ciências Exatas, Universidade do Estado de São Paulo. 1994.

GOES, Maria Hilde de Barros; SILVA, Jorge Xavier da. Parecer Técnico em resposta ao relatório técnico da concessionária da COMLURB – CICLUS – Central de Tratamento de Resíduos. Parecer Técnico enviado a Reitoria da UFRRJ em ago. 2010. Seropédica, Rio de Janeiro: Laboratório de Geoprocessamento Aplicado. 2010.

IBGE – INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA. Cidades. Disponível em: https://cidades.ibge.gov.br/brasil/rj/seropedica/panorama. Acesso em 23 nov. 2019.

INEA – INSTITUTO ESTADUAL DO AMBIENTE. Elaboração do plano estadual de recursos hídricos do estado do Rio de Janeiro: R3-B – Temas Técnicos Estratégicos, RT-06 - Avaliação do Potencial Hidrogeológico dos Aquíferos Fluminenses, 2014. Disponível em: http://www.inea.rj.gov.br/cs/groups/public/documents/document/zwew/mdyy/~edisp/inea0062144.pdf. Acesso em: 23 nov. 2019.

KRUMBIEGEL, Maurício. Poluição por resíduos sólidos na Baía de Guanabara: um estudo sobre o Aterro Metropolitano de Jardim Gramacho. Dissertação (Mestrado em Estudos Populacionais e Pesquisas Sociais) - Escola Nacional De Ciências Estatísticas (ENCE), Rio de Janeiro, 2009. Disponível em: http://www.dominiopublico.gov.br/pesquisa/DetalheObraForm.do?select_action=&co_obra=168136. Acesso em: 23 nov. 2019.

LAYRARGUES, Philippe Pomier. Educação ambiental com compromisso social: o desafio da superação das desigualdades. In: LOUREIRO, Carlos Frederico Bernardo; LAYRARGUES, Philippe Pomier; CASTRO, Ronaldo Souza de (Orgs.) Repensar a educação ambiental - um olhar crítico. São Paulo: Cortez, p. 11-31, 2009.

LAYRARGUES, Philippe Pomier; LIMA, Gustavo Ferreira da Costa. As macrotendências político-pedagógicas da educação ambiental brasileira. Ambiente & Sociedade, v. 17, n. 1, p. 23-40, 2014. Disponível em: https://www.scielo.br/j/asoc/a/8FP6nynhjdZ4hYdqVFdYRtx/?f. Acesso em: 25 abr. 2019.

LOUREIRO, Carlos Frederico Bernardo; LAYRARGUES, Philippe Pomier. Ecologia política, justiça e educação ambiental crítica: perspectivas de aliança contra hegemônica. Trabalho, educação e saúde, v. 11, n. 1, p. 53-71, 2013. Disponível em: https://doi.org/10.1590/S1981-77462013000100004. Acesso em: 25 abr. 2019.

MINAYO, Maria Cecília de Souza (org). Pesquisa Social: Teoria, método e criatividade. 28 ed. Petrópolis, RJ: Vozes, 2009.

ONU - ORGANIZAÇÃO DAS NAÇÕES UNIDAS. Report of the united nations conference on the human enviroment, 1972. Disponível em: http://www.un-documents.net/aconf48-14r1.pdf. Acesso em 23 nov. 2019.

PEREIRA, Tatiana Cotta Gonçalves. A Igualdade na Federação Brasileira e Seus Efeitos Desiguais na Reprodução do Espaço Metropolitano do Rio de Janeiro: o Caso da Destinação Final dos Resíduos Sólidos do Município do Rio de Janeiro na Periferia de Seropédica. Tese (Doutorado em sociologia e direito) - Programa de Pós-Graduação em Sociologia e Direito, UFF, Niterói, 2015.

PEREIRA, Tatiana Cotta Gonçalves. Política Nacional de Resíduos Sólidos e um caso de injustiça ambiental como seu efeito socioespacial: a construção do aterro sanitário em Seropédica. In: XVII ENANPUR: Desenvolvimento, Crise E Resistência: Quais os caminhos do planejamento urbano e regional, São Paulo, 2017. Disponível em: https://anais.anpur.org.br/index.php/anaisenanpur/article/view/1965/1944. Acesso em: 10 ago. 2019.

PLÁCIDO, Patrícia de Oliveira; CASTRO, Elza Maria Neffa Vieira de; GUIMARÃES, Mauro. Travessias para Educação Ambiental ‘Desde el sur’: uma agenda política critica comum em ‘zonas de sacrifício’ como o Brasil e América Latina. Ambiente & Educação, 23(1), 8-30, 2018. Disponível em: https://doi.org/10.14295/ambeduc.v23i1.7393. Acesso em: 10 ago. 2019

PORTELLA, Márcio Oliveira; RIBEIRO, José Cláudio Junqueira. Aterros sanitários: aspectos gerais e destino final dos resíduos. Revista Direito Ambiental e Sociedade, v. 4, n. 1, 2014. Disponível em: http://www.ucs.br/etc/revistas/index.php/direitoambiental/article/view/3687/2110. Acesso em: 05 set. 2019.

TOZONI-REIS, Marília Freitas de Campos. et al., A inserção da educação ambiental na Educação Básica: que fontes de informação os professores utilizam para sua formação? Ciência & Educação (Bauru), v. 19, n. 2, p. 359-377, 2013. Disponível em: https://doi.org/10.1590/S1516-73132013000200009. Acesso em: 05 set. 2019.

VIÉGAS, Rodrigo Nuñez. Desigualdade ambiental e “zonas de sacrifício”. Mapa dos Conflitos Ambientais no Estado do Rio de Janeiro, v. 21, 2006. Disponível em: https://www.faecpr.edu.br/site/documentos/desigualdade_ambiental_zonas_sacrificio.pdf. Acesso em: 14 mai. 2019.

Downloads

Publicado

2022-07-26

Como Citar

Santos, K. dos P. O., Soares, A. M. D., & Veiga, L. L. de A. da. (2022). Utilização de uma problemática local como foco de discussão na prática educativa: um caso de injustiça ambiental na cidade de Seropédica, RJ. Ensino, Saude E Ambiente, 15(1), 35-55. https://doi.org/10.22409/resa2022.v15i1.a42934

Edição

Seção

Artigos

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)